Paróquia de São Vicente de Paulo

Curso Bíblico: Gênesis – 25ª Semana

PARÓQUIA DE SÃO VICENTE DE PAULO
3ª URGÊNCIA DA AÇÃO EVANGELIZADORA
IGREJA, LUGAR DE ANIMAÇÃO BÍBLICA E VIDA PASTORAL.
ESTUDO BÍBLICO CAPÍTULO POR CAPÍTULO

 

Objetivo – Fazer com que as nossas comunidades leiam, conheçam e ponham em prática a Palavra de Deus.

 

GÊNESIS 30,1- 43 – FOLHETO 25

 

INTRODUÇÃO – Os que vêm acompanhando este estudo bíblico, desde o primeiro folheto, têm observado que estamos estudando o primeiro livro da Bíblia, o Gênesis. Está ele inserido no bloco dos livros chamados de Pentateuco pela Bíblia Cristã e Torá pela Bíblia Hebraica.

 

Mas é importante que nossos leitores e estudantes de Teologia Bíblica saibam que alguns estudiosos da Bíblia apresentaram, no decorrer da história, algumas questões sobre o Pentateuco. Basta olhar a obra do biblista Jean Louis Ska, professor de Exegese do Antigo Testamento no Pontifício Instituto Bíblico de Roma. É ele uma das autoridades mais atualizadas sobre o Antigo Testamento em várias universidades católicas do mundo inteiro, inclusive na Faculdade Católica de Fortaleza. Lendo suas obras, perceberemos que outros estudiosos bíblicos apresentaram outros nomes para a origem do Pentateuco. Por exemplo: Tetrateuco, ou seja, quatro livros ou rolos: Gênesis, Êxodo, Levítico e Números; Hexateuco, seis livros ou rolos: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio e Josué; Eneateuco, ou seja nove livros ou rolos: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, 1-2 Samuel; 1-2 Reis. Isso é apenas a título de informação e estudo. Não é para o pregador fazer homilia a respeito disso, nem o catequista de iniciação cristã ensinar aos seus catequizandos, ou qualquer palestrante de grupos ou movimentos de igreja. Aconselho ler a obra de J.L Ska apresentada no final deste folheto, nas referências bibliográficas.

 

Em síntese, deste assunto, podemos dizer que algumas questões fundamentais sobre a origem do Pentateuco, a Igreja guiada pelo Espírito Santo, continuada pelos bispos, sucessores dos apóstolos e mestres da verdade e da fé determinaram que realmente os cinco primeiros livros bíblicos chamam-se Pentateuco: Gn, Ex, Lv, Nm e Dt.

 

ESTUDO DO GÊNESIS – 30,1-43 (leiam o texto)

 

No último parágrafo do capítulo 29 do folheto 24, tivemos o relato dos primeiros filhos de Jacó: Rúbem, Simeão, Levi e Judá, todos eles filhos através de Lia.

 

Quando chegamos ao capítulo 30, vemos a misericórdia de Deus novamente revelada, apesar do pecado do homem, no caso Jacó e Raquel.

 

Em virtude de ser um capítulo muito extenso, apresentarei aqui alguns tópicos essenciais desse capítulo.

 

No versículo 1, há uma referência aos problemas que existiam no lar de Jacó (leiam o versículo).

 

Já nos versículos 2 e 3 (leiam o texto), estamos novamente diante de uma prática muito comum naqueles tempos. Quando uma esposa não dava à luz filhos, por ser estéril, podia entregar ao seu marido uma serva para que, por meio dela, obtivesse um filho. Quando Raquel entregou sua serva Bila a Jacó, ela concebeu e deu à luz Dã e, posteriormente, Neftali. Lembram-se de Abrão, Sarai e Ageu? Algo semelhante, não?

 

Encontramos aqui, também, que Lia, irmã de Raquel, ofereceu a Jacó sua serva Zilpa, ou Zelfa, conforme a tradução para que fossem gerados filhos. Zilfa deu a Jacó dois filhos: Gade que significa afortunado, e Aser, que quer dizer venturoso, porque Lia se sentia bem aventurada (leia versículo 13) ou felicidade ditosa. Ainda encontramos aqui um termo interessante, Mandrágoras, frutas chamadas “maçãs do amor”. Segundo algumas crenças antigas, essas frutas tinham raízes com poderes afrodisíacos (leiam Cântico dos Cânticos 7,13) que eram usadas para promover atividade sexual e a concepção de quem era estéril.

 

Nos versículos 21 e 22, vemos que Lia concebeu mais uma vez e deu à luz um filho chamado Zabulou e uma filha chamada Diná.

 

Nos versículos 23 e 24, vamos encontrar a ação de Deus lembrando-se de Raquel. Ela deu à luz outro filho, chamado José, que posteriormente se tornará o famoso José do Egito.

 

Nos versículos 25 e 26, apresenta-se o enriquecimento de Jacó e seu pedido a Labão. Jacó já estava cansado de viver longe de seus parentes mais próximos e pediu a Labão que o deixasse partir. Labão queria reter Jacó, não permitindo que ele partisse.

 

No restante dos versículos até o final do 43, podemos fazer uma síntese do episódio de Jacó e Labão.

 

Jacó ficou rico, conseguiu formar um rebanho numeroso. Foi grande o seu trabalho. Assim, constatamos que Jacó continua o mesmo de sempre, quando sempre venceu sem se importar com os métodos empregados. Jacó ainda não mudara de vida. Ainda não tinha ocorrido uma profunda transformação em seu caráter. Ainda não era a hora. O tempo de Deus ainda não tinha chegado para esse patriarca. Deus o estava preparando paulatinamente.

 

Devemos aprender com esse episódio que não se corrige uma injustiça cometendo outra, um erro não justifica o outro. Labão errou por não ter sido justo e por não pagar com retidão e justiça a um homem trabalhador como Jacó. Mas também Jacó errou quando lançou mão dessa estratégia, desse plano estranho para conseguir vantagem e explorar seu sogro.

 

Existem aqueles que, acham que para haver progresso, são necessárias algumas espertezas, algumas falcatruas. Jacó pode até servir de exemplo para essas pessoas. Mas os que pensam assim devem lembrar-se que Jacó sempre pagou muito caro pelos métodos errados que empregou.

 

Você não acha algo semelhante com a situação do Brasil de hoje? Sobretudo em relação a sua conjuntura?

 

EXERCÍCIOS

 

1. De acordo com a introdução deste folheto 25, o que você diria a respeito de algumas questões fundamentais apresentadas sobre o Pentateuco?

 

2. Qual a quantidade de livros para o Tretateuco, Pentateuco, Hexateuco e Eneateuco, e transcreva os seus nomes.

 

3. Apesar dos questionamentos dos estudiosos encontrado na obra de Jean Louis Ska, o que o magistério da igreja afirma sobre o Pentateuco?

 

4. Quem é ? Jacó –

 

Lia –

 

Raquel –

 

Labão –

 

Zilfa ou Zelfa –

 

Bila ou Bala –

 

5. Dê o significado dos nomes:

 

Gad ou Gade =

 

Aser =

 

Lia =

 

Mandrágoras =

 

Obs: esses dois modos de escrever os nomes são de acordo com a tradução de cada bíblia.

 

6.Quais os nomes dos filhos de Jacó, com suas respectivas esposas e respectivas servas?

 

7. Faça uma síntese do episódio entre Labão e Jacó, a partir dos versículos 27 a 43.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE APROFUNDAMENTO

 

● Bíblia de Jerusalém

 

● Storniolo, Ivo – Balancin E., Como ler o Livro do Gênesis, São Paulo: Paulus 1991

 

● Bergant, D. – Karris.R, The Collegeville Bible Commentary. Minnesota: EUA - 1989

 

● Deisseler, Alfons., O Anúncio do Antigo Testamento, São Paulo: Paulus 1984

 

● Ravasi, Gianfranco., A narrativa do Céu – As histórias, as ideias e os personagens do Antigo Testamento, São Paulo: Paulinas 1999

 

● Bright, John., História de Israel, São Paulo: Paulus 2000

 

● Pierre, Grelet., Homme qui es tu ? Les onze premiers chapitres de la Génèse, Paris; Cerf 1973.

 

● Drolet, Gilles., Compredre l’Ancien Testament, Canadá 2006

 

● São Gerônimo., Antigo Testamento, São Paulo: Paulus 2011

 

● Anotações do Pe. Neto

 

• Arens, Eduardo., A Bíblia sem Mitos - Uma introdução crítica – São Paulo: Paullus 2007

 

• J.L,Ska , Introdução ao Pentateuco . São Paulo: Loyola, 2003

 

• J.L. Ska, O Antigo Testamento – Explicado aos que conhecem pouco ou nada a respeito dele, São Paulo: Paullus 2015

 

ELABORAÇÃO – Pe. Raimundo Nonato de Oliveira Neto – Pároco da Paróquia de São Vicente de Paulo e Especialista em Teologia Bíblica pela Union Theological Seminary, Nova York– E.U.A - 1993 e pelo Centro Bíblico Verbo – São Paulo – 2007 -2008.

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos