Paróquia de São Vicente de Paulo

27º Domingo do tempo comum - 2016

 

No evangelho sobre o qual refletimos hoje, (Lucas 17,5-10) os apóstolos fizeram um bonito pedido a Jesus: “Senhor, aumenta-nos a fé”. E Jesus respondeu de coração aberto: “Se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda, podereis dizer a esta amoreira: arranca-te e lança-te ao mar, e ela vos obedecerá”. (Lc. 17,5s). Os evangelistas Mateus e Marcos trazem a resposta de Jesus um pouco diferente. Em vez de falar de uma árvore, falam de um monte. Daí a expressão: “uma fé que transporta montanhas”. Há uma lenda cristã que fala de um santo, São Gregório, o Taumaturgo – que teria, com sua oração, feito arredar-se do lugar um monte que estava impedindo a construção de uma igreja.

Não se trata aqui da fé teológica, pela qual aderimos às verdades de Deus, como aquela de que fala a carta aos hebreus, ao dizer que “aqueles que se aproximam de Deus devem crer que ele existe e que recompensam os que o procuram” (Heb. 11,7). Jesus está falando aqui da confiança no poder e na bondade de Deus, que vem em nosso socorro de maneiras as mais maravilhosas. Nossa própria experiência nos mostra como se encontram pessoas admiráveis por essa fé em Deus onipotente e misericordioso. Para elas, na verdade, nada é impossível. Parece que Deus está mesmo a seu lado, como um amigo sempre leal.

Continuando com a reflexão deste evangelho, poderemos ligar o que já lemos com a lição que Jesus dá em seguida. E podemos dizer: mesmo que uma pessoa tenha essa fé tão grande que seja capaz de conseguir milagres, deve saber que Deus não tem nenhuma obrigação para com ela. Tudo o que ele faz, fá-lo por sua divina generosidade. Sobretudo o céu, que ele nos dá como prêmio de nossa vida, fiel aos seus mandamentos; na verdade, é pura graça de sua bondade. Ninguém compra o céu. Deus é que quis ligar nossa vida a esse prêmio, que vem totalmente de sua bondade.

A mensagem que tiramos para nossa vida poderá ser esta: a fé não e ter Deus a nosso serviço, mas colocar-nos plenamente à sua disposição, confiando nele e acatando sua palavra e sua vontade. A fé é com amor, a amizade que deve ser cultivada na oração. Jesus ao falar da força da fé, usa a linguagem típica de sua cultura e dá exemplo que indica que nada é impossível a quem crê: uma fé do tamanho de um grão de mostarda nos possibilita viver na sua graça.

Que neste domingo da fé genuína, o senhor Jesus, nos faça robustecer nossa fé tão frágil como grão de mostarda, para que possamos ultrapassar os nossos limites e fraquezas e realizar importantes tarefas a serviço da fé, do amor, da vida e da esperança.


Pe. Raimundo Neto
Pároco

 

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos