Paróquia de São Vicente de Paulo

Trigésimo terceiro domingo do tempo comum - 2016

 

As palavras de Jesus neste domingo (Lucas 21,5-19), sobre a volta gloriosa do Messias e o final dos tempos, procuram reforçar a fé dos discípulos, para que perseverem até o fim. De maneira alguma pretendiam apavorá-los, fazendo sua adesão resultar do temor. A preocupação de Jesus ia na direção contrária, de modo a não se deixarem abater ante os desafios que teriam de enfrentar. Assim, estariam preparados para encontrar-se com o Senhor por ocasião de sua vinda.

 

O primeiro ponto sobre o qual foram alertados dizia respeito à identificação do Messias. Jesus lhes aconselhava critério, para evitar que fossem enganados por falsos messias, auto proclamados como tais. A recomendação de Jesus era taxativa no sentido de que não os seguissem. O segundo ponto desse evangelho se referia à avaliação de certos fatos da história: guerras, revoluções, terremotos, epidemias, fome etc. Os discípulos foram instruídos sobre a tentação de fazer uma leitura apocalíptica da História e tornar esses fatos aterradores como sinais de iminência do fim, ficando alarmados e bloqueados. O terceiro ponto parecia mais desafiador para a perseverança dos discípulos. Tratava das perseguições, prisões, processos, ódio, morte, até mesmo por parte dos familiares. Tudo por causa do nome de Jesus. Seria grande a tentação de renunciar à opção pelo reino e renegar a condição de discípulo.

 

Neste evangelho Jesus ofereceu algumas pistas para a correta interpretação dessas situações angustiantes. Primeiramente, elas seriam uma boa ocasião para o discípulo testemunhar sua fé, e, quem sabe, levar seus adversários à conversão. Por outro lado, o discípulo contaria com a preciosa ajuda que lhe seria dada, em fervor de sabedoria e de eloquência, que nenhum dos adversários poderia negar ou contradizer. Embora isto não fosse explícito, essa ajuda consistiria no dom do Espírito Santo, donde viria à força necessária para não fraquejar. Acima de tudo, os discípulos deveriam ter certeza de que suas vidas estavam nas mãos de Deus.

 

A mensagem deste evangelho para nós, hoje, poderá ser esta: o evangelho fala do fim do mundo, de destruição, de sinais pavorosos, de perseguição e morte. De certa forma isto nos assusta. Mas fala também de coragem, ânimo, testemunho, auxilio da parte de Deus, firmeza e vida. A nossa preocupação não deve ser com o fim do mundo e sim com a transformação do mundo do pecado. O mundo de economia globalizada muitas vezes mata a esperança de quase todos, e a maioria que apenas se preocupa consigo, vai perseguindo os que buscam a fraternidade. Este evangelho nos convida à perseverança e à esperança no projeto de Jesus, Nada de desânimos e medo diante dos acontecimentos que estão abalando a paz mundial. A fé, a esperança e o compromisso com a vida falam mais alto do que esses acontecimentos.

 

Pe. Raimundo Neto
Pároco de São Vicente de Paulo

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos