Paróquia de São Vicente de Paulo

Terceiro Domingo da Páscoa Ano A - 2017

 

Na leitura do Evangelho de hoje (Lucas 24,13-35) iremos descobrir uma agradável verdade, que vale também para a leitura das outras aparições: Jesus continua a pregação do Evangelho ainda na dimensão de ressuscitado. E prega, nos quarenta dias em que se fez ver ainda na terra, coisas maravilhosas.

 

Vale salientar três grandes verdades que aparecem no encontro com os discípulos no caminho de Emaús. A primeira verdade é que não nos devemos apoiar em falsas seguranças. “Nós esperávamos – disseram os discípulos- que seria Ele quem iria redimir Israel”. (cf. Lc. 24,21). Aquela esperança de que Jesus tinha falado do verdadeiro sentido da sua missão, muitos não tinham sido capazes de entender. E assim se sentiam profundamente desiludidos com a morte de Jesus, de maneira humilhante e dolorosa. E, como não tinham ainda noticia da Ressurreição – por enquanto eram só boatos ouvidos das mulheres – sentiam-se desolados.

 

Todos nós podemos estar sujeitos a alimentar também falsas esperanças. E podemos encontrar em nosso caminho muita gente desiludida na fé e na religião, por se terem baseado em falsas interpretações da verdade. Cabe ao zelo do coração cristão tirar caridosamente tais pessoas de sua posição equivocada e iluminar-lhes o espírito, como fez o ressuscitado no caminho de Emaús.

 

A segunda verdade que o Evangelho de hoje nos ensina é a palavra de Deus. Hoje, temos além de Moisés e dos profetas, toda a riqueza dos evangelhos e de todo o Novo Testamento. É a mina inesgotável da Palavra, que a Igreja põe em nossas mãos. Nenhuma fonte mais rica nem mais consoladora do que essa “para instruir, refutar corrigir, educar na justiça”, como se lê em (2Tm 3,16). O verdadeiro cristão deve estar bem familiarizado com a Palavra de Deus, para ser capaz de sugerir, no momento oportuno, o remédio a quem sofre a tristeza e o desânimo. E quem souber usar sabiamente esse remédio, fará prodígios.

 

E a terceira verdade é que reconheceram a Jesus no partir do pão. No rito familiar de ”abençoar o pão, parti-lo e distribuí-lo”, viram que era Jesus que estava com eles. Assim deverá acontecer conosco: partir o pão com quem estiver precisando.

 

Que, o evangelho de hoje ajude a todos nós a ter um encontro de fé e de amor com Jesus Cristo, reconhecendo-o como Messias, Filho de Deus, e que vivamos uma vida autêntica, inseridos na missão de Jesus, que é vivência do amor pleno.

 

Pe Raimundo Neto
Pároco de São Vicente

 

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos