Paróquia de São Vicente de Paulo

Sexto Domingo da Páscoa - 2017

 

Estamos vivendo plenamente as alegrias da Páscoa. A espiritualidade deste tempo é a da Ressurreição – vida nova em Cristo Jesus, uma espiritualidade de vida nova, de “vida do alto”, como repete a Liturgia, relembrando o ensinamento da Carta aos Colossenses: ”Uma vez que ressuscitastes com Cristo – o cristão é alguém que, no batismo, morreu e ressuscitou com Cristo – buscai as coisas do alto onde Cristo se encontra sentado à direita de Deus” (cf. Cl. 3,1). O cristão não pode rastejar no apego e na sujeição às coisas terrenas, aos prazeres do mundo. Te que saber saborear as coisas do alto e não as coisas da terra.

 

E para nos ajudar eficazmente nessa tarefa, a Igreja nos vai fazendo ler o que Jesus ensinou, numa nova e saborosa leitura, iluminada pela luz da Páscoa, que leva a penetrar as profundezas da sabedoria de Deus. E, como nem podia ser diversamente, predominam os textos dês. João com sua sábia teologia e com a sua elevada mística.

 

No evangelho deste 6º Domingo da Páscoa (João 14,15-21), é apresentada para nós a promessa do Espírito, já que se aproxima a Festa de Pentecostes. O trecho do evangelho de hoje faz parte do discurso da despedida de Jesus (João 13-17). É o testamento que Jesus, antes de partir, deixa à sua comunidade. O Evangelho apresenta dois pontos importantes: a) O Amor; b) O Espírito Santo – espírito da verdade e advogado dos cristãos.

 

O amor não é algo abstrato. É sim, o fundamento para saber e os cristãos são, de fato, seguidores de Jesus; se são capazes de amar na comunidade e fora dela. O amor para Jesus não pode ser vivido em circuito fechado, egoisticamente, mas projetado para fora, da mesma forma como Jesus agiu, e vai trazer a vida em plenitude para todos. Amor, para Jesus, é dar a vida. É guardar os mandamentos que foram resumidos no amor de Deus e ao Próximo.

 

O Espírito Santo, espírito da verdade, advogado dos cristãos, é o defensor que permanece para sempre na vida da comunidade.

 

Ele é chamado o espírito da verdade, isto é: aquele que estará presente em todas as ações dos cristãos em defesa da liberdade e da vida, como fez Jesus. Espírito da verdade é a memória de fidelidade de Jesus na vida da comunidade cristã. É ele

 

quem nos protege contra o erro e a mentira, pois o mudo da mentira se opõe ao Espírito da Verdade.

 

Ainda neste Evangelho encontramos dois aspectos da realidade de Deus que estavam escondidos até que o Espírito iluminasse a mente dos apóstolos: 1) Deus se revela a nós não como um ser solitário, fechado em si mesmo; Deus se revela como Pai, Filho e Espírito Santo. Deus se revela como Comunhão. 2) Deus se revela como o “bem que se difunde”,o bem que se comunica, diz o grande teólogo da Igreja, Santo Tomás de Aquino. Deus é amor. Fazer conhecer com esse amor, difundir esse amor é a nossa missão.

 

Que a prolongada celebração de Páscoa nos ajude a criar em nós uma forte espiritualidade da alegria, da vida e da esperança. Um bom domingo a todos.

 

Pe. Raimundo Neto
Pároco de São Vicente

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos