Paróquia de São Vicente de Paulo

Décimo quinto domingo do tempo comum ano A - 2017



A leitura evangélica de hoje (Mateus 13,1-23) dá inicio ao sermão parabólico de Jesus sobre o mistério do Reino de Deus. É o terceiro dos cinco grandes sermões do Evangelho de Mateus. O trecho hoje nos chama a atenção para a Parábola do Semeador. A semente cai em quatro tipos de terreno: beira do caminho, pedregoso, espinhos e terra boa. Que classe de terreno somos nós? Na parábola do semeador Jesus utiliza esse método para abrir os corações dos seus ouvintes, pois muitos não sabiam ou não queriam entender a mensagem. No tempo dos profetas, também isto ocorreu; muitos endureceram o próprio coração, taparam os ouvidos para não aceitar a palavra de Deus que os chamava à conversão. A reduzida penetração do evangelho no coração humano, a escassez dos frutos, não dependem nem da semente, nem do Semeador, mas da qualidade da terra. Em muitos pode-se encontrar um coração duro, inquieto ou um coração bom. Em cada um de nós há espinhos, pedras, trilhos e terra de boa qualidade. Trata-sede tomar consciência e de melhorar o terreno para que a palavra de Deus possa produzir frutos.

A parábola do semeador, como boa parte das parábolas apresentadas por Mateus, é colhida no ambiente agrícola palestinense, e mostra que o Reino de Deus já está em atividade, mas ainda não é glorioso: é uma semente lançada no coração humana, o qual deve fecundá-la com sua cooperação A parábola está muito exposta ao fracasso do que ao sucesso. As sementes caídas à beira do caminho perderam-se todas, devoradas pelas aves do céu. As semeadas em terreno pedregoso foram queimadas pelo sol, assim que brotaram. As que foram parar entre espinhos não puderam crescer, por ter sido sufocadas. Até mesmo a semente que caiu em terreno bom foi vítima de fracasso. Só uma terça parte foi cem por cento frutuosa.

A mensagem que podemos tirar para nossa vida poderá ser esta: Com esta parábola Jesus quer pôr de lado um cristianismo superficial, que consiste em aceitar e ouvir seus ensinamentos de modo teórico. Ele quer conduzir-nos a um cristianismo profundamente arraigado, capaz de produzir frutos. Nós devemos ser bom terrenos semeados por sua Palavra. Sendo assim, tornamo-nos também responsáveis e produtores do fruto do Reino. Um dos efeitos da palavra de Deus, ouvida e acolhida é a alegria que nasce da fé, da certeza doa mor por nós, que ser revela continuamente na pessoa e na obra de Jesus Cristo. Sejamos bons terrenos para acolher com alegria as sementes do Reino. Só a quem reconhece Cristo como o Salvador e que se torna o seu discípulo, é capaz de compreender os mistérios revelados do Reino de Deus.

Pe. Raimundo Neto
Pároco de São Vicente

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos